“Que Deus tenha piedade, pois não há independência e estão vendendo a nossa pátria”, diz dom Antônio Muniz

0
270

“Que Deus tenha piedade, pois não há independência e estão vendendo a nossa pátria”, diz dom Antônio Muniz

 

Arcebispo presidiu Missa do Dia de Jejum e Oração pelo Brasil, no Santuário Virgem dos Pobres

 

Thiago Aquino / Pascom Arquidiocese de Maceió

 

O arcebispo metropolitano de Maceió, dom Antônio Muniz Fernandes, presidiu a programação do Dia de Jejum e Oração pelo Brasil, na manhã deste 7 de setembro, no Santuário Arquidiocesano Virgem dos Pobres, em Mangabeiras. Os fiéis rezaram a via-sacra, o rosário e participaram da Santa Missa.

A oração da via-sacra, durante a subida ao Santuário, iniciou a programação. A recitação de todos os mistérios do terço preparou os participantes para a Missa de Nossa Senhora Aparecida, que foi animada pelo coral da Casa do Servo Sofredor, instituição de tratamento para dependentes químicos e administrados pela Arquidiocese.

O arcebispo explicou durante homilia o objetivo do dia de oração. “Estamos aqui desde cedo em um grito da Igreja que é silencioso, este é o espírito que nos une, pois é preciso silenciar para saber qual o direcionamento que Deus nos aponta. Nossa atitude não é de pedir emprego, nem bajulação, mas sim de pedir chuvas de Justiça sobre o Brasil”, disse dom Antônio.

Ele criticou os governantes que estão “vendendo o país” e atuando contra a vida: “Neste dia o grito não é de independência, porque continuamos escravos dos outros, estão vendendo a nossa pátria, deixando milhões desempregados, roubando as aposentadorias e aprovando o aborto. E os responsáveis são aqueles em quem votamos”.

“É diante desta bandeira do Brasil que estamos rezando unidos e elevando a Deus a nossa prece neste dia: que Ele tenha piedade de nós, pois está faltando tudo neste Brasil”, desabafou dom Antônio. “Que Nossa Senhora de Fátima interceda ao Filho Jesus para que Ele dê paz a esta nação”.

Oração e jejum

O metropolita distribuiu terços aos fiéis que não tinham e incentivou que todos rezassem durante o dia para que entrassem no clima de oração, assim como toda a Igreja no Brasil.

Além da entrega dos terços, o Santuário Virgem dos Pobres ofereceu sopa aos fiéis que participaram da manhã de jejum e oração. Estavam presentes assistidos das Obras Sociais da Arquidiocese de Maceió, Casa Betânia e Casa do Servo Sofredor; fraternidades Casa Ranquines e O Caminho, e a Pastoral da Pessoa Idosa.

O padre Marivaldo da Conceição, da Paróquia São José Operário, e o padre Frei José Duarte, da Quase Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens, de Coqueiro Seco, concelebraram a Missa.