Paróquia Nossa Senhora de Fátima no Bairro Novo comemora 20 anos de Pastoral Carcerária

0
69

A Pastoral Carcerária da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Bairro Novo, Olinda, completa 20 anos de serviço pastoral no próximo dia 30 de novembro com missa em ação de graças celebrada por Monsenhor Lino às 17 horas na igreja matriz.

A Pastoral assiste 35 famílias de presos, todas moradoras de Olinda, oferecendo evangelização, orientação nos processos de justiça, acompanhamento escolar dos filhos e netos dos encarcerados, e atividades artesanais para as mulheres como forma de promoção de renda para as famílias.

Fátima Sena é coordenadora da Pastoral Carcerária da paróquia há 10 anos. Bancária aposentada, reúne-se semanalmente com as famílias (todas as quintas-feiras, às 15h) no salão paroquial, dividindo momentos de angústias e alegrias com as mulheres e crianças. “O grande trabalho é conversar, apoiar e educar essas pessoas para o bem, porque as famílias vivem numa cultura de miséria, de erros, estão desacreditadas e por isso são poucas as mulheres que aproveitam a oportunidade de aprender e mudar de vida”, explica a coordenadora. “Ainda assim, é uma alegria reencontrá-las a cada semana, porque arrancamos sorrisos e bons momentos de descontração, que são importantes para enfrentar a realidade”, comentou. A Pastoral faz sorteios de cestas básicas para quem participa da reunião e ainda ajuda com o dinheiro da passagem para visitar o familiar que está preso.

Diferente de outras pastorais que visitam os encarcerados, a Pastoral Carcerária de Nossa Senhora de Fátima não vai aos presídios. Já foi, mas para conhecer as mulheres dos presos e suas necessidades, convidando-as para as atividades na Paróquia. Hoje, as próprias assistidas convidam outras pessoas, também moradoras de Olinda, levando-as à igreja. Na paróquia, fazem trabalhos manuais como bordados, confecção de diademas, pinturas de caixa de madeira. Tudo é vendido e dividido entre elas e a Pastoral (que precisa comprar material de trabalho).

O objetivo deste trabalho, segundo Fátima, é oferecer algum tipo de renda às famílias dos presos. Fala-se muito em auxílio-reclusão, mas nenhuma das 35 famílias da Pastoral tem direito ao auxílio, porque ele só é dado a quem foi preso e era trabalhador com carteira assinada há dois anos. “A maioria é de desempregados ou de trabalhadores informais, sem carteira”, afirma Fátima.

Como forma de ajudar as famílias, a Pastoral já fez doação de carroças de cachorro-quente e carros de mão com isopor. Chegou, inclusive, a reformar as casas das famílias, construindo banheiros. Tudo em alvenaria, todas com higiene e dignidade.

Os interessados em fazer parte da Pastoral Carcerária ou em ajudar com doações devem procurar a paróquia: Rua Cleto Campelo, 303, Baiiro Novo, Olinda – PE. O telefone é (81) 3429.0383. Toda a comunidade está convidada a participar da missa no dia 30, às 17h, na igreja matriz, contribuindo com alimentos não perecíveis no ofertório da missa ou com kits de sabonete, escova e creme dental.

Pascom AOR

LEAVE A REPLY