Falecimento Monsenhor Pinto, pároco emérito de Angicos

0
119

(Foto: cedida)

“Vinde, benditos de meu Pai” (Mt 25,34)

A Arquidiocese de Natal cumpre o doloroso dever de comunicar o falecimento do Monsenhor Francisco das Chagas Pereira Pinto, ocorrido no final da tarde deste domingo, 21, na cidade de Angicos, onde residia. O corpo será velado na Igreja Matriz de São José, em Angicos. Nesta segunda-feira, às 7 horas, será conduzido para a cidade de Fernando Pedroza, onde, às 9h, será celebrada missa, na Igreja de São Joaquim. Em seguida, o corpo retornará para a Igreja Matriz, em Angicos, onde às 16 horas, será celebrada missa, presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha. Em seguida, acontecerá o sepultamento, no cemitério municipal.

Monsenhor Pinto, como era conhecido, nasceu em 26 de setembro de 1926. Por quase 50 anos foi pároco da Paróquia de São José, em Angicos  e Fernando Pedroza. Atualmente, com 91 anos de idade,  era o padre mais idoso do clero da Arquidiocese de Natal.

Biografia do Monsenhor Pinto

Francisco das Chagas Pereira Pinto nasceu em 26 de setembro de 1926, na Fazenda São Francisco, município de Gaspar Lopes, atualmente Pedro Avelino-RN. Filho de Francisco Horácio Pereira Pinto e Anna Amélia Pereira Pinto, foi batizado em 12 de dezembro de 1926, na Capela de Gaspar Lemos, pelo Pe. Ulisses Maranhão, vigário de Angicos-RN, tendo como padrinhos: Horácio Elpídio Pinto, seu avô paterno, e Ana Clementina da Trindade, sua avó materna. Teve seus primeiros estudos com sua mãe Anna Amélia Pereira Pinto e, depois, na Escola Pública, em Epitácio Pessoa. Em seguida foi para escola particular da agente dos Correios, Maria Cândida Coelho.

Em 1939,  ingressou na Escola Particular da Srª Leonor Maciel do Amaral, no prédio da Escola Estadual José Rufino, em Angicos-RN. No ano seguinte frequentou a escola paroquial Santo Cura D’ars em Angicos.

Em 1941, tendo sido fundado o Educandário Pe. Félix, pelo Padre Manoel Tavares de Araújo, nele ingressou onde concluiu seu curso primário, em 1944.

Em 1945, ingressou no Seminário de São Pedro, em Natal, onde fez o curso ginasial e científico, concluindo no ano de 1949. Em 1950, iniciou o curso de filosofia e, depois, de teologia, no seminário maior da Prainha, em Fortaleza-CE. Recebeu tonsura na capela do seminário, e as primeiras ordens menores e também as maiores, subdiaconato e diaconato. As ordens e tonsura lhe foram conferidas pelo Arcebispo Metropolitano de Fortaleza-CE, Dom Antônio de Almeida Lustosa. No dia 8 de dezembro de 1955, foi ordenado presbítero, por Dom Eugênio de Araújo Sales, Bispo Auxiliar de Natal,  na Catedral de Nossa Senhora da Apresentação. Celebrou sua primeira missa solene em Pedro Avelino a 13 de dezembro de 1955.

Recebeu a primeira nomeação para coadjutor da Paróquia de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, em dezembro de 1955, onde ficou até 1956.

Depois foi nomeado vigário da Paróquia Nossa Senhora das Graças e Santa Teresinha, no Tirol, em Natal, ficando até julho de 1959, quando foi nomeado pároco de Angicos, pelo então Papa João XXIII, substituindo o Pe. Manoel Tavares de Araújo, que no momento deixava a paróquia de São José dos Angicos para ser bispo da Diocese de Caicó. Por ter sido nomeado pelo Papa, recebeu o título de “vigário pontifício” (título que era aos padres que substituíam nas paróquias sacerdotes nomeados bispos).

Em 19 de agosto de 2000, recebeu o título de Monsenhor, Outorgado pelo então Papa João Paulo II.

Em 04 de agosto de 2008, passou a administração da paróquia ao  Pe. Vicente Fernandes Neto, tornando-se assim Pároco Emérito da Paróquia de São José dos Angicos.

Mesmo depois de emérito, continuou residindo em Angicos e servindo à Igreja.

Faleceu em 21 de janeiro de 2018, aos 91 anos de idade.