Vida Eterna, Dom Manoel Delson.

0
246

Guardamos no nosso coração as boas lembranças dos entes queridos que já partiram para junto do Pai. Fica a saudade? Fica! Mas nós sabemos que só temos saudade do que é bom. Até se diz que “a saudade é o amor que fica”. E o amor que fica é eterno. O amor leva-nos para Deus, leva-nos para a vida eterna. Tudo o que nós vivenciamos no amor permanece. E é isso que nós vamos levar para a eternidade, para Deus. Os momentos bons que nós vivenciamos com os nossos entes queridos são levados para junto de Deus. Eles morreram e levaram tudo isso para Deus. E esses mesmos momentos, essas mesmas lembranças, permanecem conosco, então nisso há uma conexão entre os que já estão em Deus e nós que permanecemos na Terra.

Lembrar os nossos mortos é lembrar que uma parte de nós já está em Deus. E que a outra parte irá para Deus no momento em que Deus chamar. Nós conseguimos fazer esta ligação bonita com os nossos entes queridos sabendo que o nosso destino é a eternidade. A Palavra de Deus nos fala disso.

Jó sofreu muito: perdeu tudo o que tinha: família, bens… Mas Jó não perdeu a esperança. Ele quis comunicar uma mensagem muito forte para os seus amigos: que o seu Redentor vive, e que o seu Redentor o ressuscitará. Ele ainda não tinha essa compreensão da ressurreição, mas ele tinha a compreensão de que depois ele iria ver a Deus, contemplar a Deus com os seus olhos, e isso é vislumbrar a eternidade. Que esperança bonita reinava no coração de Jó! E ela deve reinar no coração de todos nós. Às vezes nós nos sentimos como ele: rejeitados, sofridos, mas não podemos perder a esperança na vida eterna.

São Paulo, na Carta aos Romanos, lembrava-nos que, quando ainda éramos pecadores, Jesus Cristo deu a vida por nós, purificou-nos com seu sangue derramado na Cruz. Jesus Cristo pagou o preço da nossa salvação, o nosso resgate com o seu sangue. Agora nós valemos muito para Ele, e Cristo não vai nos deixar perder. O amor de Deus vai continuar intenso, profundo, derramando abundantemente sobre nós, porque Jesus Cristo nos resgatou para o Pai. Nós valemos, agora, o que vale o sangue precioso de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele apagou as nossas culpas, os nossos delitos, os nossos pecados. E por isso o nosso destino é a salvação, é a vida eterna, pela misericórdia de Deus, pela vontade de Deus. Nós não merecemos. Mas Deus nos ama, e nos redime, e nos salva. Por isso não podemos perder a esperança na vida eterna.

Dom Manoel Delson

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

LEAVE A REPLY