Procissão da Bandeira e Missa marcam abertura da Festa de Nossa Senhora dos Prazeres em Maceió

0
250

A Arquidiocese de Maceió deu início à festa da padroeira, Nossa Senhora dos Prazeres, na noite desta quinta-feira (17). A procissão da bandeira saindo do Quartel da Polícia Militar, o hasteamento e a Missa na Catedral Metropolitana marcaram a abertura do novenário.

O arcebispo de Maceió, dom Antônio Muniz, padres e os militares iniciaram a procissão da bandeira de Nossa Senhora dos Prazeres na Praça da Independência, no centro. Na Praça Montepio dos Artistas houve o encontro com a imagem de Nossa Senhora de Fátima, trazida de Portugal. Os fiéis da Paróquia Nossa Senhora Mãe do Povo, no Jaraguá, onde a imagem foi acolhida no dia 30 de agosto e peregrinou até esta sexta (17), promoveram uma carreata para que a imagem chegasse à Catedral Metropolitana.

Foi diante do olhar de cada devoto e ao som do hino, que a bandeira foi hasteada acima da porta central da Catedral, que recebeu uma iluminação especial para a festividade. Já a imagem de Nossa Senhora de Fátima foi colocada no altar lateral da Catedral, onde permanecerá até o dia 27, quando será entronizada no Santuário Virgem dos Pobres, em Mangabeiras, no encerramento da procissão.

Após a proclamação do evangelho feita pelo diácono Joseilton Luz, militar do Exército Brasileiro, dom Antônio iniciou a homilia destacando o tema central do novenário: “Fazei tudo o que Eles vos disser (Jo 2,5)” e explicando o Evangelho do dia. “Maria pede para que façamos a vontade de Jesus e, hoje, ele pede que saibamos perdoar sempre”, afirmou.

“E já que vamos refletir sobre a família durante todo o novenário, a gente começa a refletir sobre o perdão na família. Você está perdoando seus filhos? A sua esposa? O seu marido que falhou?”, refletiu o metropolita. Na oração do Pai Nosso, ele convidou os casais presentes na celebração para subirem ao presbitério e rezarem juntos.

No momento do ofertório, também houve a participação dos militares que todos os anos estão presentes na abertura da festa. “A família militar já tem a tradição de iniciar as comemorações da festa de nossa padroeira, não só a Polícia Militar, como também as Forças Armadas, o Exército, a Marinha e a Aeronáutica”, informou o comandante da Polícia Militar de Alagoas, coronel Marcos Sampaio. “No coração da Mãe há o desejo de paz e harmonia, e a nossa cidade anseia por isso. Então eis o sentido deste gesto”, explicou o arcebispo.

Maria José, da Paróquia Nossa Senhora Mãe do Povo, é devota assídua. Já visitou vários santuários marianos, inclusive o de Fátima, em Portugal. Após participar da programação com a presença da imagem trazida pelo arcebispo, ela fez questão de participar da aberturar da festa da padroeira de Maceió. “É sempre muita emoção participar dos louvores à Mãe de Deus, porque já alcancei vários milagres por intercessão dela”, disse.

O cônego Severino Fernando, administrador da Catedral Metropolitana, sente uma emoção maior este ano durante a festa por estar coordenando pela primeira vez a comissão organizadora. “É importante quando a gente se reúne como Igreja e como família, é o tema da própria festa: a família reunida celebrando os louvores ao Senhor pelas maravilhas realizadas através da Mãe Nossa Senhora dos Prazeres, que é a alegria da Igreja”, afirmou.

O Pe. Epitácio Pessoa, capelão da Polícia Militar, monsenhor José Nilton, da Paróquia Nossa Senhora Mãe do Povo, no Jaraguá, estavam entre os sacerdotes que concelebraram a Santa Missa com o arcebispo. A Irmandade do Santíssimo Sacramento e os seminaristas auxiliaram na celebração.