Ano Santo da Misericórdia

0

O Ano Santo Extraordinário da Misericórdia, o Jubileu da Misericórdia, foi anunciado pelo Papa Francisco, ou melhor, sua decisão de proclamá-lo foi anunciada, no dia 13 de março de 2015, durante a homilia da celebração penitencial a que presidiu na Basílica de São Pedro, na abertura da iniciativa anual “24 horas para o Senhor”, dizendo que “pensei frequentemente… decidi…queremos vivê-lo à luz da Palavra do Senhor: ‘Sede misericordiosos como o Pai’ e isto especialmente para os confessores”.

No dia 11 de abril deste ano, na Vigília da Divina Misericórdia, o Papa oficializou o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, por meio da Bula Misericordiae Vultus, tendo como tema extraído da carta de São Paulo aos Efésios “Deus rico em misericórdia” (Ef 2,4). “Jesus Cristo é o rosto da misericórdia do Pai”.

O início das atividades pelo Ano Santo da Misericórdia dá-se na Solenidade da Imaculada Conceição, no dia 08 de dezembro deste ano, com a abertura da “Porta Santa” ou “Porta da Misericórdia” na Basílica de São Pedro, no Vaticano, às 9h30 (06h30 horário de Brasília). Nas Catedrais, em todo o mundo, a abertura da Porta Santa acontecerá no domingo seguinte, dia 13. Na Catedral de N. Sra. da Luz, em Guarabira-PB, a abertura da Porta Santa ocorrerá às 8h30. Depois, haverá abertura da Porta Santa em três lugares diocesanos de peregrinação (Cruzeiro de Roma, Memorial Frei Damião e Memorial Pe. Ibiapina). As comemorações serão concluídas no dia 20 de novembro de 2016, dia da Solenidade de Rei do Universo.

No dia 29 de novembro p.p. – primeiro Domingo do Advento, o Papa Francisco já abriu a primeira Porta Santa do Ano Santo da Misericórdiana Catedral de Bangui, durante Visita Apostólica à África. Essa é a primeira vez que um Papa abre um Ano Santo fora do Vaticano.

O Ano Santo da Misericórdia tem como finalidade promover a abertura extraordinária das igrejas e favorecer a celebração do Sacramento da Reconciliação. Ressalta, ainda, a importância e a continuidade do Concílio Vaticano II, concluído, há exatos 50 anos. É um ano especial, cheio de graças, e que proporciona conversão, evangelização profunda e a concretização da Palavra de Deus em gestos de perdão, de ajuda e de amor. Ele foi convocado pelo Papa, para ser vivido intensamente em cada Igreja particular, de forma a permitir que todos possam encontrar a misericórdia de Deus Pai, por meio da atuante missão da Igreja. O sinal mais evidente deste cuidado pastoral é a possibilidade de as Portas Santas serem abertas em cada Diocese.

As Portas são consideradas santas porque são abertas pelo Papa para marcar simbolicamente o início de um Ano Santo. A abertura simboliza a acolhida aos católicos e também a passagem para a salvação, uma vez que quem passar pela Porta Santa poderá receber indulgência plenária, desde que se confesse, comungue, reflita sobra a Misericórdia, busque viver as obras de misericórdia, e reze pelo Santo Papa.“Neste Jubileu, deixemo-nos surpreender por Deus. Ele nunca se cansa de abrir a porta de Seu coração para repetir que nos ama e quer compartilhar conosco a sua vida”, disse Francisco.

Manifestemos com alegria a todos o Evangelho da Misericórdia, vivendo intensamente este Ano Santo da Misericórdia.

Dom Francisco de Assis Dantas de Lucena
Bispo de Guarabira(PB)

Share.

Leave A Reply