Cristo é Rei

0

A Solenidade de Cristo Rei do Universo encerra o Ano Litúrgico, o ano da Igreja. Cristo é o centro da nossa existência. NEle podemos assegurar toda a nossa alegria e esperança, e superar toda nossa tristeza e angústia de que está tecida a nossa vida. Quando Jesus está no centro, até os momentos mais sombrios da nossa existência se iluminam: Ele nos dá esperança.

Jesus é rei, mas não como os reis deste mundo. Jamais podemos atribuir a Jesus a figura de um rei como tantos outros neste mundo. Existe um reino diferente que se realiza em Cristo neste mundo, sem ser deste mundo. Jesus sempre recusou ser coroado rei, em momentos de euforia popular, pois o seu “reino não é deste mundo” (Jo 18,36). Ele não poderia ser considerado um rei dentre outros, segundo os costumes dos povos. Diante de Pilatos, em meio a Paixão, Jesus sofredor admite: “Tu o dizes: eu sou rei” (Jo 18,37), o “rei” que veio ao mundo “para dar testemunho da verdade”. Na sua paixão e morte na cruz, Jesus se revela o verdadeiro rei, o Senhor, que vem para dar a vida pela salvação do seu povo. Ele é um rei muito diferente! Seu trono é a cruz; sua coroa é de espinhos; seu manto vermelho está embebido do próprio sangue vertido do corpo flagelado; seu cetro real é uma vara colocada em suas mãos por zombaria. Ao invés de cercar-se de honrarias, ele se faz servo, doando a sua vida.

Jesus Cristo reina como “nosso Senhor e Rei do Universo”. O Filho de Deus feito homem é Senhor do céu e da terra. Nele todas as coisas foram criadas e para Ele tudo existe. Este reinado não se restringe a alguma parte da terra, nem a uma porção de pessoas. A Ele estão sujeitos todos os senhores da terra, os corações de todos os seres humanos. Por isso, pode-se dizer: Jesus Cristo é a testemunha fiel, o príncipe dos reis da terra. Todos hão de reconhecê-lo (cf. Ap 1,5-8). Trata-se, pois, de um reinado a que devem sujeitar-se e servir todas as instituições terrenas. Todas as realidades n’Ele e por Ele adquirem sentido. O Reino de Jesus é um reino eterno e universal. Reino da verdade, da vida, da santidade, da graça, da justiça, do amor e da paz. É este o Reino que pedimos ao Pai todas as vezes que rezamos o Pai Nosso. Contudo, não basta assim rezar; quem aceitar Jesus como Rei e Senhor, nele deve crer e confiar, deixando-se conduzir pela sua Palavra.

Na festa de Cristo Rei celebramos o Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas. Agradecemos profundamente aos fiéis leigos que tanto se dedicam à Igreja nas diversas pastorais, movimentos ou serviços, participando, de modo responsável, na construção da sociedade querida por Deus, rumo ao Reino definitivo. “A vocação do leigo e da leiga é sal que dá sabor, é fermento que faz crescer a massa e soma “com todos os cidadãos de boa vontade, na construção da cidadania para todos” (CNBB, 107 n. 58). E, nas Dioceses do Brasil, têm início, na solenidade de Cristo Rei, a Campanha para a Evangelização, tempo especial de oração e reflexão em vista da evangelização, com a coleta nacional prevista para o 3º domingo do Advento.

            Participemos da Festa de Cristo Rei nesta querida Diocese de Guarabira. A partir das 14h, acolhida na Cidade de Duas Estradas-PB. Em seguida, caminhada para Serra da Raiz-PB, com apresentação do nosso 3º Plano Diocesano de Pastoral: uma Igreja em saída, discípula, missionária, profética e misericordiosa; e celebração eucarística. “A Ele pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém”.

Share.

Leave A Reply