Francisco encontra jesuítas e jovens marginalizados no Chile

0
113

O encontro com os jesuítas e os jovens marginalizados assistidos no Lar de Cristo – obra fundada por São Alberto Hurtado – foi a última atividade do Papa Francisco em Santiago na terça-feira, 16/01. No Santuário de São Alberto Hurtado, o Santo Padre encontrou os sacerdotes jesuítas e os jovens assistidos no Lar de Cristo.

O Papa foi acompanhado pelo Provincial dos Jesuítas até a Capela onde estão conservados os restos mortais de São Alberto. Estavam presentes 90 sacerdotes da Companhia de Jesus.

Depois de rezar, o Papa encontrou junto ao altar os jovens que o receberam com cânticos, em um momento de intensa espiritualidade.

Após este momento privado, o Papa saiu da capela e foi até a esplanada do Santuário, onde outro grupo de jovens entoava canções.

Um sacerdote dirigiu algumas palavras a Francisco, dizendo que o fato de ter dedicado este tempo para saudá-los era “um milagre do céu”. Seguiu o testemunho de uma jovem.

A seguir, o Papa abençou um pão que lhe foi apresentado, com estas palavras:

O senhor abençoe este alimento que foi feito por vocês mesmos. Abençoe as mãos que o fizeram,  as mãos que o repartem e as mãos que o recebem.  Abençoe Senhor o coração de todos nós, e que este partilhar nos ensine a compartilhar o caminho, a compartilhar a vida e a compartilhar depois o céu”, disse o Papa ao abençoar um pão que lhe foi oferecido. E olhem que na bênção não pedi que faça mal ao fígado, porque tem um aroma muito bom!”.

Após foram apresentados vários jovens ao Papa, de diversas partes do Chile, cada um com suas dificuldades e lutas. Francisco saudou-os um a um.

O Papa então, ainda com um pedaçõ de pão na mão, abençoou um quadro com a imagem de Jesus de Misericórdia.

Ao concluir o encontro, o Santo Padre convidou todos a rezarem juntos o Pai Nosso, concedendo a todos a sua Bênção e despedindo-se com um “Muito Obrigado!”

O Santuário São Alberto Hurtado – O Santuário de São Alberto Hurtado é dedicado ao sacerdote jesuíta falecido em 1952, fundador da iniciativa “Lar de Cristo”, que acolhe pessoas marginalizadas.

Falecido aos 51 anos devido a uma grave doença, São Alberto foi beatificado por São João Paulo II em 14 de outubro de 1994 e canonizado por Bento XVI em 23 de outubro de 2005.

Obra de um dos mais famosos arquitetos chilenos, Cristián Undurraga,  o Santuário está localizado no bairro da Estação Central de Santiago.

Inaugurado em 1995, o local de culto tem em seu interior o túmulo de Padre Hurtado – um sarcófago de pedra com porções de terra de cada região do chile, para simbolizar o afeto de todos os fiéis do país.

Precedentemente, os restos mortais do sacerdote jesuíta eram custodiados na “Capilla de las Bienaventuranzas” da Paróquia de Jesus Trabalhador, que hoje conserva uma relíquia óssea do Santo, ou seja, uma falange do dedo da mão esquerda.

No local, São João Paulo II rezou quando de sua viagem ao Chile em 1987.

Diante do Santuário há uma grande esplanada de 5 mil metros quadrados, circundada por palmeiras que simbolizam as colunas de um templo em cujo centro está presente um altar para celebrações.

O complexo do santuário acolhe também um Museu Memorial de Padre Hurtado, sempre obra de Cristián Undurraga.

A construção ocupa uma área de mais de 700 m² e tem uma altura de 7 metros. No seu interior estão guardados objetos de uso cotidiano do Santo jesuíta, entre os quais a famosa “caminhoneta verde”, ou seja, um Ford verde com que São Alberto levava ajuda aos marginalizados da cidade.

No segundo dia de seu intenso calendário de atividades no Chile, 17/01, o Papa Francisco se transfere nesta quarta-feira da capital Santiago para Temuco, no sul do país, onde encontra os povos indígenas Mapuche, – que há tempo – reivindicam um maior reconhecimento de sua cultura e de seus direitos.

O Papa vai celebrar a Santa Missa no aeroporto de Maquehue, com a presença de uma ampla representação de grupos étnicos indígenas. Às 12.45, hora local, na casa “Mãe da Santa Cruz”, almoçará com 11 habitantes da região da Araucanía, entre os quais oito membros do povo mapuche.

Às 15h30 locais, Francisco retornará de avião para Santiago, onde chegará uma hora e meia depois, e onde às 17h30 está previsto o encontro com os jovens no Santuário de Maipu. Enfim, o Papa fará uma visita à Pontifícia Universidade Católica do Chile, prevista para as 19:00 horas locais.

(site Vatican News)