Dom Fernando preside celebração eucarística no Hospital da Restauração

0
41

O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, visitou na manhã desta sexta-feira (29/12) o Hospital da Restauração Governador Paulo Guerra, no bairro do Derby, área central do Recife. Acompanhado pelo padre Josenildo Tavares, pároco da paróquia Nossa Senhora das Graças, onde está inserido o hospital, o arcebispo conversou com doentes e rezou com eles.

O Hospital da restauração é a maior unidade da rede de saúde pública na área central do Recife e atende casos graves vindos de todo o Estado de Pernambuco, principalmente traumas ocorridos por acidentes de trânsito e atos de violência com arma de fogo e arma branca. No auditório do hospital, o arcebispo presidiu celebração eucarística, pedindo que o trabalho de médicos, enfermeiros, maqueiros e funcionários administrativos seja sempre feito com amor, “pois o que fazemos aos mais necessitados é ao Cristo que estamos fazendo”.

Esta é a segunda vez que dom Fernando celebra a eucaristia neste hospital, a convite do neurocirurgião Geraldo de Sá Carneiro. No início da missa, o próprio neurocirurgião fez os comentários de acolhida e pediu que todos rezassem pelo vigilante Gabriel da Silva, internado com trauma crânio encefálico, atingido por um tiro durante tentativa de assalto à Ceasa neste mês de dezembro.

Na homilia, o arcebispo disse ver semelhanças entre o ministério do sacerdócio e o da medicina: “um zela pela alma e outro pelo corpo, mas os dois fazem o bem, cuidando do irmão, tratando-o com respeito e resgatando sua dignidade”. Para o arcebispo, o trabalho do Hospital da Restauração é louvável, pois os profissionais zelam pela saúde do irmão, principalmente dos mais pobres e necessitados. “É nestes pequenos, nos menores e mais sofredores, que precisamos enxergar a figura do irmão”, disse dom Fernando, “e amar como o próprio Jesus amou”.

Neste Ano do Laicato, a mensagem do arcebispo motiva os funcionários a assumirem sua missão de leigos, evangelizando com o testemunho de uma vida solidária e fraterna, não só na igreja, mas em suas profissões. “Vamos comprovar que amamos a Deus se praticarmos sua Palavra”, exclamou dom Fernando.

A cabo-verdiana Ana Cristina Veiga, de 31 anos, mora no Brasil há 10 anos e faz estágio de residência no Hospital da Restauração.  Subiu no presbitério para fazer a primeira leitura da celebração e disse que acha este momento muito importante para todos do hospital. “Nós, médicos, escolhemos estar aqui, mas os pacientes não; por isso precisamos da Palavra de Deus para nos revigorar e, em Cristo, atender bem cada irmão que chega e precisa de nossos cuidados”, comentou.

Ao final da celebração, o neurocirurgião Geraldo de Sá Carneiro presenteou a todos com a interpretação da Salva Rainha (Ave Regina), acompanhado pelo Ministério de Música Êxodo. Para o médico, que estava emocionado e agradecido pela presença de dom Fernando, o hospital também é uma casa de Deus, porque ali se ouve súplicas e orações a todo momento, se luta pela vida, se faz o bem.  “Sem Deus, a ciência fica capenga”, afirmou.

Pascom AOR

LEAVE A REPLY