Arquidiocese promove discussões sobre preservação do patrimônio em Seminário de Bens Culturais

0
69

 

A Comissão de Pastoral para a Cultura da Arquidiocese de Olinda e Recife realizou, nos dias 27 e 28 de outubro, no Recife, o 4º Seminário de Bens Culturais da Igreja, com palestras, mesas redondas e oficinas para religiosos, leigos engajados, historiadores, estudantes, arquitetos, museólogos e profissionais da área de preservação do patrimônio.

Liderado pelo presidente da Comissão, padre Rinaldo Pereira, o Seminário aconteceu na concatedral de São Pedro dos Clérigos e na Igreja da Madre de Deus, dois dos cartões postais da cidade. Segundo padre Rinaldo, o objetivo do evento foi despertar, no clero e nas comunidades, o senso de responsabilidade em preservar o patrimônio histórico e cultural da Igreja, fazendo com que essa riqueza chegue às gerações futuras. “Para isso, espaços de conhecimento como este seminário discutem a cultura da sustentabilidade, explorando potenciais que muitas vezes são colocados à margem”, comentou padre Rinaldo.

Nos últimos anos, a Comissão de Cultura da Arquidiocese estreitou os laços e parcerias com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), em prol da preservação dos bens culturais da Igreja. Também promoveu o resgate de peças pertencentes à Arquidiocese que estavam espalhadas em diversos lugares, passíveis de serem subtraídas, e que agora estão sendo inventariadas e catalogadas para posterior disponibilização à sociedade.

Padre Rinaldo lembra que, quando um bem é tombado, não deixa de ser propriedade da Igreja. “Por isso não se pode isentar clero e comunidade da responsabilidade da manutenção”, afirmou. Pensando assim, o padre mobilizou artistas e colecionadores de arte no Estado para um evento na última quinta-feira na Galeria Ranulpho, no Recife Antigo: um leilão de obras de arte com renda revertida para a Igreja da Madre de Deus, que precisa de reparos no telhado e nas duas torres sineiras. Foram doadas peças de artistas como Brennand, Ariano Suassuna, José Cláudio, Teresa Costa Rego, Rinaldo e outros. As peças dos artistas mais conhecidos foram vendidas e o leilão arrecadou 50% do necessário para as obras. “As peças que ainda não foram adquiridas estarão em exposição na Madre de Deus a partir desta terça-feira (31) e podem ser compradas a qualquer tempo”, informou padre Rinaldo.

Como avanços recentes da Comissão de Cultura da Arquidiocese estão o resgate da função pastoral do Museu de Arte Sacra de Pernambuco, que pertence à Arquidiocese e é gerido em parceria com a Fundarpe; e também a reestruturação e reorganização do Arquivo Arquidiocesano Dom José Lamartine, que traz em seu acervo documentos de até 400 anos, que contam a história da Igreja de Olinda e Recife e de seu povo.

Palestras e mesas redondas do 4º Seminário de Bens Culturais da Igreja contaram com assessoria da arquiteta Márcia Hazin, de Bens Móveis e Agregados do IPHAN; do assessor jurídico da CNBB, Hugo Saurbby; de Antônio Luís Ramos Sarasá, do Estúdio Sarasá Conservação e Restauro; de representantes do IPHAN e da Fundarpe.

Pascom AOR

LEAVE A REPLY