Paróquia Santa Maria Mãe de Deus: 60 anos de história e evangelização

0
112

O sentimento de gratidão permeou toda a noite do jubileu de brilhante da Paróquia Santa Maria Mãe de Deus, localizada no bairro da Macaxeira, na zona norte do Recife. No sábado (29/07), o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, presidiu a missa jubilar, concelebrada pelo pároco, padre Antônio Diego, e por dois outros sacerdotes que fizeram parte da história de 60 anos da paróquia: os padres Rosivaldo Pontes e João Crisóstomo, que já foram párocos do lugar.

Há 60 anos, a igreja matriz era a capela da vila que se formou no entorno da fábrica de tecidos Coronel Othon Bezerra de Melo. A capela fazia parte da Paróquia de Casa Forte. Em sua homilia, dom Fernando lembrou essa história e disse que “a decisão de tornar a comunidade em paróquia se deu, certamente, porque aqui existiam fiéis comprometidos, um povo disposto para o serviço, povo evangelizador”.

A igreja repleta de fiéis demonstrava o amor dos paroquianos pela vida em comunidade. Famílias inteiras foram participar da celebração eucarística, que reuniu ainda uma centena de jovens que concluíram, na semana anterior, o Encontro de Jovens com Cristo (EJC) na paróquia.

Antes do ofertório, a matriz fez memória de todos os párocos que contribuíram para fazer do templo e da comunidade uma igreja que acolhe. Um a um, os quadros com as fotos dos antigos párocos adentraram a igreja e foram dispostos diante do altar. Segundo o padre Antônio Diego, todos esses sacerdotes continuam no coração agradecido da Igreja. “Muita gente marcou a vida da Paróquia, mas também a Paróquia marcou a vida de muita gente”, disse o pároco.

Gente como dona Irene Araújo da Silva, de 82 anos, que conheceu todos os que estiveram à frente da Paróquia. Ao longo de 60 anos, foram 13 párocos, incluindo o atual. A paroquiana diz que nutre por ele um amor de mãe e que o pároco “é dedicado e, apesar de novinho, ‘voga’ por muito padre mais velho que conheço em outras paróquias”. Ela conta ainda que seu marido, Oscar, de 92 anos, era funcionário da fábrica Othon e ajudou a carregar barro, tijolo e areia para a construção da capela que, em 1947, virou paróquia. “Nossa família ama isso aqui, porque aqui é nossa casa, nossa história”, completou.

História é o que também pode contar padre Rosivaldo Pontes, que hoje é pároco na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Água Branca, Vitória de Santo Antão. “Tenho imenso carinho por esta Paróquia Santa Maria Mãe de Deus, pois aqui trabalhei como seminarista, como vigário paroquial e também como pároco, dedicando 15 anos de minha vocação”, afirmou.

Dona Carmelita Mariano viu nascer e crescer a paróquia. Foi escolhida para falar em nome da comunidade e agradeceu a presença de dom Fernando dizendo que “o arcebispo não é somente uma autoridade em nossa igreja, mas um amigo próximo, muito querido, que se mistura conosco”.

Em seus agradecimentos, Padre Antônio Diego lembrou com gratidão todos os grupos de pastorais e movimentos da paróquia, “porque o padre sozinho não consegue fazer nada sozinho”. Familiares do coronel Othon, benfeitor que construiu a capela original nos anos 40, foram homenageados e receberam uma réplica da placa comemorativa que foi descerrada após a missa pelo arcebispo e pelo pároco. “Peçamos a Deus que continue nos ajudando a evangelizar com zelo, unidade e missão”, disse o pároco.

Um vídeo com depoimentos de padres e paroquianos foi apresentado no salão paroquial, onde cantou-se os parabéns e foi feita a partilha do bolo com a comunidade presente.

Pascom AOR

LEAVE A REPLY