Papa Francisco: o amor de Jesus é desarmado, mais forte que o ódio

0
78

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência, nesta segunda-feira (02/10), na Sala Clementina, no Vaticano, cento e cinquenta participantes da conferência promovida pelo Instituto Italiano de Doação, em vista do ‘Dia da Doação 2017’ celebrado em toda a Itália no próximo dia 4, dedicado a quem faz da doação uma prática cotidiana.

“O dom maior que Deus fez a cada um de nós é o dom da vida e a vida faz parte de outro dom divino originário que é a Criação. Todos nós temos a grande responsabilidade de proteger e cuidar adequadamente da criação, protegendo-a das várias formas de degradação. Temos a  tarefa de conservar e entregar íntegro às gerações futuras o Planeta que recebemos como dom gratuito da bondade de Deus. Diante da crise ecológica que estamos vivendo, a perspectiva do dom recebido e a ser entregue a quem virá depois de nós é motivo de compromisso e esperança.”

O Papa destacou que “o dom da vida e o dom da criação provêm do amor de Deus pela humanidade. Através desses dons, Deus nos oferece o seu amor e na medida em que nos abrimos e o acolhemos nos tornamos dom de amor para os irmãos. Foi o que nos recordou Jesus durante a Última Ceia, quando deixou aos seus discípulos o mandamento novo do amor: “Amem-se uns aos outros. Assim como eu amei vocês, vocês devem se amar uns aos outros.”

“Em que sentido Jesus define novo o seu mandamento?”, perguntou o Papa. “A novidade de sua entrega está no fato de que não se trata de um amor qualquer, mas do próprio amor de Jesus, que deu a sua vida por nós. Um amor que se realiza no serviço aos outros”, como mostrou Jesus ao lavar os pés de seus discípulos.

“Um amor que sabe abaixar-se, que rejeita toda forma de violência, respeita a liberdade, promove a dignidade e rechaça toda discriminação. Um amor desarmado que se revela mais forte que o ódio. Esta é a regra do amor para quem quer seguir Jesus: deixar-se envolver por Ele, amar com Ele, modelar as próprias ações em Sua generosidade infinita.”

Segundo o Papa, o Dia da Doação celebrado na Itália, “não é um conceito abstrato, mas um comportamento e uma ação que têm as próprias raízes na mensagem do Evangelho. Trata-se de uma experiência educacional que faz a pessoa crescer humanamente e espiritualmente, abrindo a mente e o coração aos espaços amplos da fraternidade e da partilha. Constrói-se, assim, a civilização do amor!”

Essa iniciativa “é uma oportunidade estimulante primeiramente para os jovens a fim de que possam descobrir que a doação é uma parte de nós que é dada gratuitamente ao outro. Doar nos faz sentir mais felizes e os outros também. Doando criam-se laços e relacionamentos que fortificam a esperança num mundo melhor”.

“Prossigam com alegria nesse caminho. Vocês são homens, mulheres e jovens defensores da vida, guardiões da Criação, testemunhas do amor doado que gera frutos de bem para a coletividade”, concluiu o Papa.

(MJ)

(Fonte: Rádio Vaticano)